Lipoaspiração Facial

Esta técnica é bastante empregada para pessoas que têm excesso de gordura na região do mento (“papada”) e nas laterais do rosto.

O preparo cirúrgico será o mesmo que já vimos anteriormente e os cuidados durante o pós-operatório serão os mesmos de qualquer outra cirurgia facial, pois o tecido também é traumatizado durante o procedimento cirúrgico. Sendo assim, deve-se seguir as mesmas orientações com relação a DLM anteriormente citadas.

É bastante comum no pós-operatório de lipoaspiração facial a utilização do ultra-som de 3 MHz e atualmente os geradores de Rádio Frequência como terapêutica auxiliar para dissolver nódulos e fibroses que por ventura se formem na região operada. A formação de fibroses é relatada cientificamente como normal, não devendo causar preocupação por parte do paciente operado. Apenas sugere-se que se cuide adequadamente dessas formações para se garantir melhores resultados finais da cirurgia. Lembrando que a formação de fibras é necessária para que se evite flacidez tardiamente.

Tais equipamentos devem ser utilizados por mãos habilidosas, sempre respeitando o tempo de aplicação, a maneira de execução das manobras com o cabeçote, a regulagem correta do equipamento e do produto a ser aplicado na pele/região tratada.

Ambos equipamentos são excelentes auxiliares durante o pós-operatório tardio, porém todo cuidado em sua utilização é pouco, mediante danos desastrosos que o uso indevido deste equipamento pode provocar.